Qual a importância de realizar o acompanhamento com um cardiologista?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a consulta a um cardiologista pode prevenir o surgimento de doenças no coração, identificando e tratando os fatores de risco.

Além disso, uma avaliação médica regular possibilita o diagnóstico precoce de um problema cardíaco, elevando as chances de cura.

Quando a consulta acontece com frequência, dificilmente uma disfunção passa despercebida. Isso porque o paciente é analisado de forma individual, conforme sua idade, histórico familiar, sintomas e fatores de risco.

As principais condições que influenciam o aparecimento de doenças cardíacas e que, portanto, devem ser avaliadas pelo especialista são:

  • obesidade;
  • sedentarismo;
  • tabagismo;
  • colesterol alto;
  • hipertensão;
  • diabetes;
  • estresse;
  • distúrbios endócrinos, infecciosos e nos rins.

Quando a pessoa possui um ou mais dos problemas acima e se consulta com um cardiologista periodicamente, o médico pode orientá-la sobre mudanças de hábito necessárias, assim como acompanhar sua evolução.

Nas consultas de rotina ao cardiologista, é possível realizar diversos exames visando a detecção de disfunções. Os mais comuns são:

  • eletrocardiograma: tem como objetivo observar o ritmo do coração, se há distúrbios na condução elétrica, alguma sobrecarga ou alteração no funcionamento do órgão;
  • teste ergométrico ou de esforço: analisa o desempenho cardiovascular em momentos de esforço físico. É fundamental, portanto, para pessoas que fazem ou pretendem fazer atividades físicas. Nem sempre os resultados são conclusivos sobre a existência de alguma anormalidade, mas o teste pode levar o médico a ampliar a investigação;
  • ecocardiograma: é uma ultrassonografia que avalia o tamanho do coração, a espessura de suas paredes, o quanto de sangue é bombeado o movimento das válvulas cardíacas.
  • radiografia de tórax: além da avaliação pulmonar, observa-se se há um aumento cardíaco e alongamento da aorta.
  • testes laboratoriais: os exames de sangue mais frequentes são os de colesterol, triglicérides e glicemia, mas outros podem ser solicitados conforme o histórico do paciente.
×